Luga qu nã pod par carr

Luga qu nã pod par carr

Afinal, pra que gastar uma letra à toa??

Quem não tem cão...vai tu mesmo

Quem não tem cão...vai tu mesmo

Ou seria, “se não tem tu, caça com gato’?

Endereço para citação e intimação de alguém. Localização, embaixo da passarela do Méier

SP...

SP...

De novo, SP… a primeira vez em que SP demonstrou toda sua competência em mal organizar coisas, pelo menos mostrou pra mim, foi no show do Linkin Park, quando a fila – ou seriam as filas? – começavam e acabavam aleatoriamente, em diversos lugares diferentes e nenhuma delas – NENHUMA – levava o público ao show…

Dessa vez, o caso da foto aí, foi num concurso em SP, pro TRT, eles colocaram praticamente TODOS os candidatos ao cargo de técnico fazendo prova em um só lugar! Mais de 50 mil pessoas. E, TODAS tinham que sair por um único lugar – SÓ UM – que era esse estreito portão… Fiquei duas horas esperando a Michelle terminar a prova dela, já que eu tinha terminado antes, e, o tempo todo, era essa a imagem do portão, o fluxo não parava!! Ê…São Paulo…Ê…São Paulo…

Sout ien...

Sout ien...

Na rua em que uma amiga nossa casou, no Méier tinha essa placa aí…

Agora, que diabos é Opalina?

Despachante Modelo? Escritório Modelo?

Despachante Modelo? Escritório Modelo?

Tava andando em Goiania, tinha acabado de fazer uma prova e me deparei com isso. Parecia ser uma casa normal, e tinha esse troço aí na frente. Não sei o que é exatamente isso. Será que é algum lugar em que os recém formados na faculdade de Despacho atende o público carente?

Felizmente o Gilberto Gil deixou de ser ministro…

Uma abordagem sobre a morte que eu ainda não tinha parado pra pensar sobre.

Não tenho medo da morte
música e letra: Gilberto Gil
—-

não tenho medo da morte
mas sim medo de morrer
qual seria a diferença
você há de perguntar
é que a morte já é depois
que eu deixar de respirar
morrer ainda é aqui
na vida, no sol, no ar
ainda pode haver dor
ou vontade de mijar

a morte já é depois
já não haverá ninguém
como eu aqui agora
pensando sobre o além
já não haverá o além
o além já será então
não terei pé nem cabeça
nem figado, nem pulmão
como poderei ter medo
se não terei coração?

não tenho medo da morte
mas medo de morrer, sim
a morte e depois de mim
mas quem vai morrer sou eu
o derradeiro ato meu
e eu terei de estar presente
assim como um presidente
dando posse ao sucessor
terei que morrer vivendo
sabendo que já me vou

então nesse instante sim
sofrerei quem sabe um choque
um piripaque, ou um baque
um calafrio ou um toque
coisas naturais da vida
como comer, caminhar
morrer de morte matada
morrer de morte morrida
quem sabe eu sinta saudade
como em qualquer despedida.

Prova marcada para as 16h. Duração máxima de 1h. Aniversário da Sarita as 19h. Michelle me esperando no Iguatemi as 17h30.

Cheguei as 15h15. Com a devida antecedência requerida em qualquer prova de concurso.

As 16h em ponto, chamam os candidatos para uma sala de identificação, que demorou cerca de 20min para ser feita.

Aí começou.

Ficamos nessa sala de identificação até 17h mais ou menos, quando então pediram pra, só agora, nos dirigirmos pra sala dos computadores onde a prova seria realizada.

Chegamos todos, sentamo-nos em frente aos pcs.

Na hora de colocar a senha de cada um, praticamente todos os computadores travaram. Aí, o que fazer? Claro, chamar o técnico. Sim, mas eram cerca de 100 computadores e 5 técnicos sendo que desses somente dois eram técnicos de verdade e os outros 3 eram alguéns que foram orientados a fazer alguns procedimentos-padrão, caso o problema fosse diferente do que eles memorizaram, não saberiam resolver….huuumm…. vai demorar… 20 pcs pra cada “técnico”… nem todos com o mesmo problema…

18h…nada resolvido ainda…

Crio um certo caso e peço para ligar pra Michelle e pro Pedro (que iria para minha casa me esperar la pra ir pro aniversário da Sarita). Não deixaram eu ligar pra ninguém. Eu insisto, ameaço, e então eles pedem pra eu anotar num papel o tel de uma pessoa só (me senti alguém preso em flagrante). Dou o tel da Michelle e escrevo o recado num papel. A mulher da CESPE liga.

18h30… Alguns pcs ainda estão com problema. Então, os candidatos sugerem para que haja um revezamento nos computadores que estão funcionando, quem fazia a prova ia embora e o que tava com o pc ruim ia lá fazer. Nada feito, não aceitam. Só vai começar quando todos pcs estiverem funcionando.

18h45… Nada ainda. Os candidatos começam a se rebelar. Uma senhora começar a chorar pois a filha dela, recém nascida, devia estar com fome, pois estava la com o pai, esperando ela sair para levá-la pra casa, já que moravam longe e a prova ia demorar só 1h. Então, após pedirem permissão aos candidatos, deixam a mulher ir amamentar.

18h52… Os pcs finalmente funcionam… mas…espera, tem que ir chamar a mulher que foi amamentar.

19h… Começou a prova. “Vocês tem 5 minutos pra testar os programas que vão usar…vai.” Testando o excel…funcionou. Testando o Word…funcionou. Testando o outlook…testando o outlook…testando o outlook… não funciona. O de quase ninguém funciona. Eram quase 10 passos que tinham que ser seguidos para que se configurasse o outlook pra realização da prova, no entando, praticamente cada um dos 100 pcs resolveu dar problema em um desses passos…

19h20… Aguns pcs são consertados e outros voltam a funcionar sozinhos. Dessa vez a coordenação vem pedir permissão aos alunos para que fosse feito um revesamento de computadores, o que ja tinha sido sugerido por nós.

19h30… começa a prova.

19h50… termino a prova. Vamos agora pra sala de impressão, para cada um ter as suas planilhas impressas para que possa conferir se está de acordo com o que fez e então, assinar.

20h… “Por que vocês não estão imprimindo mais as provas de quem tá aqui esperando?” pergunto eu. “Porque não chegou na caixa de e-mail a prova de ninguém.” “E a gente vai esperar aqui até quando? Vcs trouxeram colchão e janta pra cada um de nós ficarmos esperando pacientemente aqui ou vão alugar um hotel aqui perto para nós?” replico eu. “Senhor, vou falar com a cordenação para ver o que pode ser feito por vocês”.

20h10… Chega um cidadão na sala de impressão, alto, tipo, 1,90m, gordo louro de cabelo na altura do ombro. Ele pergunta educadamente “onde eu pego a minha prova impressa pra assinar”. Alguém responde “ihh… vai demorar, pq não chegou nenhuma prova ainda”.

….Vcs lembram como é que uma criancinha novinha costuma fazer pirraça? Então, ela bate os pés no chão, bate as mãos na parede, ou no que tiver próximo e faz as suas reivindicações, do tipo “AAAAHHHH Eu quero ir no parqueeeeeeeeee, deixaaaaaa, mamãeeeee”. Pois bem

…O tal cara gordo, ao receber aquela notícia reage da mesma forma que a criança, com exceção da reinvindicação, ele justamente reclamava da demora excessiva, do abuso da CESPE, etc etc.

Pois então, o cara foi acalmado e retirado da sala.

Momentos de silêncio.

Logo depois, ouvimos tudo caindo do lado de fora. Abrimos a porta e o tal cara tava tentando quebrar a Univercidade, jogando quadros de aviso, extintor, tudo no chão, quebrando o próprio guarda-chuva e pisoteando a própria mochila. Os técnicos de informática, então saem e vão tentar contê-lo. Ele some. Calmaria.

No final das contas, trouxeram um papel em branco em que alguém da CESPE disse que tinhamos feito a prova e enviado o arquivo e que por um problema deles (CESPE) não foi possível a impressão. Assinamos a folha e fomos liberados.